15403624_1323917977653554_6207065139072070446_o
, ,

Jouer Entrevista #6 | Claudia Kievel & Gladys Tchoport

Já citamos aqui inúmeras vezes o Jardim Secreto, inclusive para contar como conhecemos algumas das pessoas mais inspiradoras que temos contato hoje em dia.

Para quem ainda não conhece (o que achamos ser muito difícil, porque o evento é GI-GAN-TE), o Jardim Secreto promove feiras regulares que rolam na cidade de São Paulo, além de edições especiais em outros estados, contando sempre com expositores que tenham um trabalho autoral, produtos com procedência e, em especial feitos à mão. Fora isso, existe um cuidado e um interesse em alinhar seus projetos em andamento com os objetivos dos expositores. Ou seja, um trabalho pensando no coletivo, que a gente ama e acredita mais que tudo.

Então vamos começar o ano conhecendo mais sobre as queridas Claudia e Gladys, as co-fundadoras e mentes por trás do Jardim Secreto Fair.

15676048_1323752567670095_9181983392887812429_o

JC – Como vocês começaram a empreender juntas? E como foi o início do Jardim Secreto?
JS - Nós tínhamos projetos parecidos, mas não éramos próximas. Marcamos uma conversa e o santo bateu! As duas tinham o mesmo olhar para muitas coisas e os mesmo ideais. No inicio o Jardim era pequeniniiiiinho, com apenas 15 expositores, dependendo do lugar conseguíamos 30 hehe. Até porque a primeira intenção era propor uma tarde ao ar livre com troca de roupa, debate, musica, oficinas, enfim uma experiência muito além de um mercado. Mas vimos ainda no primeiro ano do projeto que as pessoas começaram a criar coisas incríveis, e decidimos juntar todas elas transformando o Jardim em feira.
Hoje com 3 anos de história, já ultrapassamos os 150 expositores em tardes com mais de 5 mil pessoas. É o melhor momento do Jardim, nos encontramos e as oportunidades não param de aparecer!

JC – Durante a nossa trajetória com a Jouer Couture, encontramos diversas dificuldades nas relações profissionais (até mesmo com fornecedores), por sermos mulheres e jovens. Vocês também experimentaram algo do tipo?
JS - Com toda certeza! Talvez uma das piores dificuldades ou a mais irritante, é a mania de interromper nossa fala em reuniões. Sentimos sempre que precisamos provar para o que viemos, enquanto projetos feitos por homens precisam apenas dar certo. Nós além disso temos que confirmar que bancamos aquilo. É algo bem sutil, mas está lá e desmotiva se você não tiver foco.

JC – Qual as suas visões sobre a economia solidária e colaborativa no universo do pequeno produtor? Vocês acreditam que essas práticas estejam estritamente aliadas à esse movimento (ou abrangem grandes negócios também)?
JS - Sim. Estritamente aliadas à esse movimento. Grandes empresas e negócios precisam ter muito cuidado ao se introduzir nesse mundo, por conta de seu já reconhecido sucesso podem abafar quem está começando. Existe aquela falsa-parceria, onde a empresa não está necessariamente interessada ou preocupada com o trabalho do pequeno produtor, com seu rendimento e seu futuro, e sim com marketing. Se uma empresa quer apoiar o movimento, então que APOIE!

JC – Quais foram as principais mudanças que vocês sentiram nos hábitos de consumo pessoais, ao longo desse tempo que promovem a feira?
JS - Gente! foi um detox poderoso.
No inicio ouvíamos criticas do tipo: “Vocês acham que estão mudando algo, mas estão apenas criando mais uma forma de consumo”. Na verdade essa frase pode até ser redundante. Já que realmente queremos essa nova forma de consumo, para mudar algo: o próprio consumo! Explicamos: Quando você passa a comprar do pequeno produtor, você não vai comprar 5 blusinhas por 50 reais, nunca! Você vai comprar 1 ou 2 no máximo, feitas de forma justa, consciente, caprichada, com qualidade para durar. O fast fashion tem inúmeros problemas, tanto para nós como para o ambiente onde vivemos. Consumir da economia criativa faz vc comprar menos, pois o valor é outro, e a durabilidade também.
Já é raro sair de casa sem estar com o look 100% handmade hoje em dia. E nosso objetivo é consumo zero de marcas que ainda usam trabalho escravo. Chega!

JC – Sabemos que o Jardim Secreto Fair é uma das maiores feiras de São Paulo, considerando esse posicionamento, quais os planos pra 2017? Teremos novidades?
JS - Sim!
Queremos reinventar nossa interação com os expositores. Todos possuem tanto para dividir com a gente, conhecimentos únicos de seus processos criativos e de produção. Em 2017 queremos troca de conhecimento, e muito em breve um novo formato vai chegar por aí.

Enquanto isso, já tem evento marcado no dia 25/01 em comemoração ao aniversário de 463 anos de São Paulo. Confira os detalhes aqui.

15874778_1348023761909642_385941756698815093_o

Share

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *